Home / Saúde e Bem Estar / Conheça a dislipidemia, doença com mais de 2 milhões de casos registrados ao ano

Conheça a dislipidemia, doença com mais de 2 milhões de casos registrados ao ano

A dislipidemia é definida como distúrbio que altera os níveis séricos dos lipídios (gorduras) no sangue. Assim como a hipertensão, também é um dos fatores de risco para ocorrência de doenças cardiovasculares (DCV) e cerebrovasculares.

Para reduzir o risco de infarto, acidente vascular cerebral (AVC) e outros eventos cardiovasculares, são indicados tratamentos não medicamentosos (basicamente relacionados à alteração do estilo de vida) e/ou medicamentosos.

Na dislipidemia, as alterações do perfil lipídico podem incluir colesterol total alto, triglicerídeos (TG) alto, colesterol de lipoproteína de alta densidade baixo (HDL-C), níveis elevados de colesterol de lipoproteína de baixa densidade (LDL-C).

Dislipidemia é a principal causa de doenças cardio e cerebrovasculares

Em consequência, a dislipidemia é considerada como um dos principais determinantes da ocorrência de doenças cardiovasculares (DCV) e cerebrovasculares, dentre elas aterosclerose (espessamento e perda da elasticidade das paredes das artérias), infarto agudo do miocárdio, doença isquêmica do coração (diminuição da irrigação sanguínea no coração) e AVC (derrame).

De acordo com o tipo de alteração dos níveis séricos de lipídios, a dislipidemia é classificada como: hipercolesterolemia isolada, hipertrigliceridemia isolada, hiperlipidemia mista e HDL-C baixo.

Os valores de referência para avaliação dos níveis de gordura na circulação sanguínea estão descritos na tabela a seguir:

 

 

valores-dislipidemia

O que causa o aumento de gordura no sangue?

Os níveis de gordura na corrente sanguínea estão associados ao hábito de praticar exercícios, de ingerir bebidas alcoólicas, carboidratos e gorduras. Além disso, o índice de massa corpórea e idade influenciam as taxas de gordura sérica.

A atividade física aeróbica regular, como corrida e caminhada, constitui medida auxiliar para o controle da dislipidemia. Tais exercícios físicos podem levar à redução de triglicerídeos e aumento do HDL-C (“colesterol bom”), sem alterar a quantidade de LDL-C (“colesterol mau”).

O hábito de fumar está associado à queda das taxas de HDL-C e aumento do VLDL-C, enquanto o abandono do tabagismo leva a uma melhor taxa de HDL-C, sem afetar as taxas de LDL-C.

O consumo de grandes quantidades de gordura saturada encontrada em alimentos de origem animal, em especial as vísceras, leite integral e seus derivados, embutidos, frios, pele de aves e frutos do mar, está associado ao aumento das taxas de LDL-C e colesterol total (CT).

Taxas de colesterol total e suas frações também aumentam com a idade nos dois sexos, sendo que a redução de estrógeno em mulheres em menopausa também contribui para esse aumento.

dislipidemia

Para avaliar o risco de doenças cardiovasculares, deve-se realizar a dosagem regular dos principais lípidios séricos: colesterol total, HDL-C, LDL-C e triglicerídios. Com essas informações o médico poderá, baseado também no exame físico e histórico do paciente, avaliar a real necessidade de uso de medicamentos que diminuem os níveis de gordura e/ou somente de dieta e exercícios regulares.

REFERÊNCIAS:
Faludi AA, Izar MCO, Saraiva JFK, Chacra APM, Bianco HT, Afiune Neto A et al. Atualização da Diretriz Brasileira de Dislipidemias e Prevenção da Aterosclerose – 2017. Arq Bras Cardiol 2017; 109(2Supl.1):1-76
ANVISA – portal.anvisa.gov.br/…Dislipidemia…pdf/a26c1302-a177-4801-8220-1234a4b91260, acesso em 29/12/2107.

Posts Recentes
Contact Us

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Not readable? Change text. captcha txt
micosesInfecções Urinárias