Home / Saúde e Bem Estar / O Perfil Genético de Aptidão Física e Composição Corporal

O Perfil Genético de Aptidão Física e Composição Corporal

O Perfil Genético de Aptidão Física e Composição Corporal é voltado para nutrição e atividade física, buscando criar o sinergismo entre esses conceitos e assim, potencializar o saldo de saúde. Associa a avaliação de genes para aptidão física e para composição corporal.
É possível realizar as análises de forma conjunta ou separada, avaliando apenas o Perfil Genético de Aptidão Física e/ou o Perfil Genético de Composição Corporal.

Perfil Genético de Aptidão Física

O Desempenho Esportivo está associado com muitas características tais como peso, altura, composição corporal, capacidade cardiorrespiratória, capacidade de utilização de glicogênio e lipídios, bem como tipos de fibras musculares predominantes e aspectos psicológicos. Nesse sentido, a herança genética em conjunto com fatores ambientais podem promover melhor adaptação ou adesão à determinado treinamento.

Genes:
AGT – Angiotensinogênio
ECA – Enzima Conversora de Angiotensina
ACTN3 – a-actinina 3
BDKRB2 – Receptor b2 de bradicinina

AGT

O gene do angiotensinogênio (AGT) participa do sistema renina-angiotensina-aldosterona.
Polimorfismos nesse gene estão associados ao aumento da concentração de angiotensinogênio, favorecendo risco de hipertensão arterial sistêmica. A presença do alelo C pode favorecer aptidão para esportes de força.

ECA

A enzima conversora de angiotensina (ECA/ACE) é componente enzimático chave do sistema renina-angiotensina-aldosterona, atuando na regulação da pressão arterial sistêmica e equilíbrio hidroeletrolítico. O polimorfismo de inserção/deleção está relacionado às concentrações de ECA. Estudos apontam que a presença do alelo I também pode estar associada com o aumento da atividade da bradicinina.

ACTN3

As a-actininas (ACTN) são proteínas de ligação e fazem parte da família das actinas, tendo papel importante na regulação do citoesqueleto, pertencente ao componente contrátil. Já foram identificadas 4 isoformas. O gene ACTN3 codifica uma proteína presente nas fibras musculares esqueléticas tipo II, de contração rápida, responsável pela força contrátil. Polimorfismo em ACTN3 (genótipo XX) resulta em proteína truncada, tornando-a instável sendo rapidamente degradada. Indivíduos XX (TT), possuem mais aptidão física para esportes de endurance, em que há predomínio do sistema aeróbio.

BDKRB2

Polimorfismos no gene do receptor b2 de bradicinina (BDKRB2) correspondem à presença (+9) ou à ausência (-9) de nove pares de bases de um segmento localizado no éxon 1 e estão associados com o aumento da expressão gênica do BDKRB2. A bradicinina faz parte da classe dos peptídeos conhecidos como quininas, atuando como importante vasodilatador. Essa proteína está envolvida com vários processos biológicos, incluindo regulação vascular, resposta inflamatória, proliferação celular, contração da musculatura lisa e modulação do metabolismo da glicose.

Perfil Genético de Composição Corporal

A determinação da Composição Corporal possui muitas aplicações em programas de promoção da saúde e no treinamento desportivo, sendo consenso entre os especialistas de que tal avaliação é fundamental para monitoramento dos níveis ideais de massa magra e massa gorda. Sabe-se ainda que tanto baixos quanto altos percentuais de gordura corporal estão associados à riscos para saúde, entre eles desequilíbrios hormonais, de excesso de peso, Diabetes mellitus tipo 2 e risco para eventos cardíacos.

Genes:
FTO (Fat mass and obesity associated) – Aumento da sensação de fome, com preferência por alimentos gordurosos.
SH2B1 (Associado à sensibilidade de leptina e insulina) – Hábito de petiscar entre as refeições.
GNPDA2 (Associado à adiposidade corporal) – Risco para aumento de circunferência abdominal.
GNB3 (Associado ao peso pós-gestacional) – Risco diminuído para excesso de peso gestacional e retenção de peso pós-gestação.
INSIG2 e PLIN (Pirilina) – Risco reduzido de adiposidade corporal.

FTO

O gene FTO (Fat mass and obesity associated) representa o primeiro gene relacionado às formas comuns de obesidade humana. O FTO é expresso em diferentes tecidos humanos, sendo abundante no cérebro (núcleo arqueado do hipotálamo) e sua expressão pode ser modulada pelo ciclo jejum/alimentação, tendo papel funcional no controle central da homeostase energética. Polimorfismos em FTO estão associados ao aumento de adiposidade corporal, efeito que pode ser atenuado com a prática de atividade física.

SH2B1

Proteína expressa no cérebro, hipotálamo, fígado, músculo, tecido adiposo, coração e pâncreas. Estudos demonstram que SH2B1 pode regular o balanço energético, peso corporal, sensibilidade à insulina, homeostase de glicose e ainda, a sensibilidade hipotalâmica à leptina.

GNPDA2

Proteína associada à conversão de glicose-6-fosfato em frutose 6- fosfato. O GNPDA2 é expresso em níveis elevados no cérebro e no hipotálamo e parece exercer papel importante na adiposidade. A presença do alelo G está relacionada ao aumento da circunferência abdominal.

GNB3

O GNB3 (Human guanine nucleotide binding protein beta polypeptide 3) codifica a subunidade beta 3 das proteínas G, presentes em todas as células do organismo. Esse polimorfismo parece influenciar o aumento do percentual de gordura corporal, regulação da frequência cardíaca e hipertensão arterial.

INSIG2

Proteína que codifica 225 aminoácidos que participam da regulação da síntese de colesterol, de ácidos graxos e de triacilgliceróis no fígado e em outros tecidos, sendo capaz de bloquear a síntese de lipídios. A presença do alelo C está associada com predisposição de acúmulo de gordura subcutânea.

PLIN

Presente nos adipócitos, a pirilina (PLIN) é a proteína que “protege” os estoques de triacilgliceróis, sendo capaz de interagir com a lipase hormônio sensível a fim de facilitar o processo de lipólise. Polimorfismos na PLIN aumentam os riscos para resistência à insulina, bem como para o excesso de peso corporal.

Caso exista o interesse em conhecer mais sobre este exame, favor leia as seguintes orientações. Muito obrigado.

A coleta:
– Material: sangue;
– Jejum: não obrigatório, ou a critério médico;
– A coleta pode ser realizada em todas as unidades
do Ghanem Laboratório.

O agendamento:
– Por meio dos contatos 47 3028.3001,
47 98458.1299 (WhatsApp) e
sac@grupoghanem.com.br.
Exclusivo Itajaí e Litoral 0800.000.3001.

As informações técnicas:
Por meio da Assessoria Científica do laboratório nos contatos
47 3043.7088, 47 98458.1330 ou pesquisa@grupoghanem.com.br

Posts Recentes
Contact Us

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Not readable? Change text. captcha txt

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

hepatites previna-seNovembro Azul