Home / Exames e Laboratório / Os hormônios e o metabolismo da mulher

Os hormônios e o metabolismo da mulher

Mulher, como vai sua saúde? Quanto tempo faz que você não faz uma visitinha ao médico? Será que seus hormônios estão à flor da pele?

Os exames hormonais preventivos são muito importantes para o diagnóstico precoce de doenças graves, evitando complicações e garantindo maiores chances de sucesso no tratamento. Esses exames são realizados para prevenção de alterações hormonais e metabólicas, e varia conforme a faixa etária e a indicação clínica.

INFÂNCIA E PRÉ-ADOLESCÊNCIA DA MULHER

Na fase inicial da vida de uma menina/mulher, alguns exames hormonais se mostram importantes para avaliar como está o crescimento e o amadurecimento dela, tais como:

- Hormônio do crescimento (GH), que é um hormônio existente em todas as pessoas e é produzida pela glândula hipófise, situada na base do crânio. É importante para o crescimento desde os primeiros anos de vida até o fechamento das cartilagens dos ossos (epífises), o que ocorre no final da puberdade, em geral, entre 15 e 20 anos de idade.

A média de crescimento de uma criança é de mais de 04 cm por ano. Entretanto, na puberdade esse valor varia entre 12 cm e 13 cm a cada ano. Quando o crescimento é inferior que 04 cm, ou 06 cm na fase da puberdade, o ideal é que um especialista seja consultado. Quanto mais cedo os pais ou responsáveis descobrirem que a criança não está com a estatura média dos amiguinhos da mesma idade, mais fácil será para evitar problemas como o nanismo.

- Hormônio Folículo Estimulante (FSH) e Hormônio Luteinizante (LH), o hormônio folículo-estimulante (FSH) estimula a secreção de estrogênio, responsável por desenvolver na superfície do ovário um folículo que contém o óvulo. É o FSH que regula o crescimento, desenvolvimento, puberdade, reprodução e secreção de hormônios. A produção desse hormônio é estimulada por outro hormônio, o luteinizante (LH). O FSH e o LH são produzidos pela hipófise e juntos realizam a liberação do óvulo durante o ciclo menstrual.

Na adolescência, alguns distúrbios hormonais podem ser responsáveis por quadros como o hirsutismo e a acne. Os hormônios envolvidos nestas doenças e que devem ser monitorados nos casos em que há suspeita clínica são: testosterona, globulina ligadora de hormônios sexuais (SHBG), 17-OH-progesterona, dehidroepiandrosterona (DHEA), sulfato de DHEA e dihidrotestosterona.

MULHERES JOVENS

Quando a mulher atinge a vida adulta, exames que monitoram o eventual aparecimento de distúrbios como o diabetes e as dislipidemias, e trazem informações sobre o risco cardíaco e cardiometabólico da mulher, se tornam de grande valia. Aqui se pode citar a dosagem da glicose sanguínea, da hemoglobina glicada (HbA1c) e as dosagens de colesterol total e frações (HDL, LDL e triglicerídeos). Recomenda-se que estes exames sejam realizados com periodicidade mínima anual.

Os distúrbios da tireoide também costumam se manifestar nesta fase da vida adulta. A tireoide atua no crescimento e desenvolvimento de crianças e adolescentes, no peso, na memória, na regulação dos ciclos menstruais, na fertilidade, na concentração, no humor e no controle emocional. Portanto, o acompanhamento dos níveis hormonais do hormônio estimulador da tireoide (TSH) e da Tiroxina (T4L), principal hormônio produzido pela tireoide, se torna relevante.

Quando a tireoide não funciona de maneira correta, pode liberar hormônios em quantidade insuficiente, causando o hipotireoidismo, ou em excesso, ocasionando o hipertireoidismo.

MULHERES MADURAS (APÓS OS 50 ANOS) 

A menopausa é uma fase natural da vida de todas as mulheres. Em torno dos 50 anos, o corpo para de produzir os hormônios estrogênio e progesterona, a menstruação cessa e a mulher entra no período chamado: climatério.

Este fenômeno vem acompanhado de sintomas desagradáveis como: ondas de calor (fogachos), insônia, depressão, variação de humor, falta de memória, ressecamento vaginal, ganho de peso e diminuição da libido, entre outros. Com o tempo, também começam a perder, com maior rapidez, o cálcio dos ossos que pode evoluir para a osteoporose, além de se tornarem mais sujeitas a doenças cardíacas e doenças degenerativas do sistema nervoso, como o mal de Alzheimer. Os sintomas ocorrem em decorrência da diminuição na produção hormonal, e a terapia de reposição hormonal pode ser indicada nesta fase, por um profissional médico. Desta forma, são indicados os exames de dosagens dos hormônios Estradiol, FSH e LH, para comprovar o climatério.

Dentre as doenças mais comuns nesta fase, a osteoporose é certamente uma das condições que mais afetam as mulheres após a menopausa. Dosagens de cálcio, vitamina D e hormônio paratireoidiano (PTH), bem como o C-telopeptídeo (CTX) e o propeptídeo procolágeno tipo I (P1NP) se tornam muito importantes nesta fase da vida da mulher, para detecção da Osteoporose e acompanhamento dos casos em tratamento.

Além dos principais hormônios, vale salientar que é muito importante a avaliação da saúde geral da mulher, por meio de um check-up completo da mulher. Algumas doenças são silenciosas e não possuem sintomas até já estarem completamente instaladas e afetando a saúde, por isso é muito importante consultar um médico, e fazer alguns exames com periodicidade (em geral, anualmente), mesmo não apresentando nada fora do normal. Conhecer o próprio corpo é fundamental para poder se atentar às mínimas mudanças que podem interferir na saúde.

Para mais informações.

Disk Ghanem: 47 3028-3001
WhatsApp: 47 98458-1299
sac@grupoghanem.com.br

Você sabia que o Ghanem tem uma unidade apenas para você, mulher? Visite o Ghanem Mulher, uma unidade exclusiva para Mulheres e Gestantes! Rua Lages, 757, em frente a Cia do Pelo, atendimento de 2ª a Sábado das 6h30 às 12h30.

Recommended Posts
Contact Us

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Not readable? Change text. captcha txt

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

lei do caminhoneiroChikungunya