Home / Exames e Laboratório / Teste do pezinho: o primeiro passo para uma vida saudável

Teste do pezinho: o primeiro passo para uma vida saudável

Também conhecido por “Triagem Neonatal”, é um dos exames mais importantes para se detectar irregularidades na saúde do bebê. É por meio deste teste que se realiza o diagnóstico preventivo de diversas doenças genéticas (transmitidas pelos genes dos pais), congênitas (que se desenvolvem no útero) e infecciosas assintomáticas no período neonatal. Com o diagnóstico precoce da doença, pode-se iniciar rapidamente o tratamento específico e a diminuição ou eliminação das sequelas.

Os Tipos

Existem 4 diferentes tipos, e o que os diferem são as doenças pesquisadas.

  1. Teste Básico: pesquisa as seguintes doenças – a Fenilcetonúria, as Hemoglobinopatias, as Aminoacidopatias, o Hipotireoidismo congênito e a Fibrose cística.
  2. Teste Ampliado: analisa, além das doenças já citadas; a Hiperplasia adrenal congênita.
  3. Teste Plus: pesquisa, além das já descritas nos dois testes; a Galactosemia, a Deficiência de Biotinidase e a Toxoplasmose congênita.
  4. Teste Master: inclui, além de todas as doenças citadas; a Deficiência de G6PD, o HIV, a Sífilis congênita, as Infecções congênitas por Citomegalovírus (CMV), a Rubéola congênita e a Deficiência de MCAD.

A Coleta de Sangue

É realizada entre o 3º. e 7º. dia de vida e com apenas algumas gotas de sangue do calcanhar do recém-nascido. Por ser uma região muito vascularizada e de fácil coleta, a obtenção da quantidadede sangue necessária é mais rápida e quase indolor, quando comparada com a coleta venosa.

Sob orientação médica, esta coleta pode ser realizada após os 28 dias de vida, por punção venosa.

O agendamento poderá ser realizado por meio dos contatos abaixo.

As Doenças detectadas e alguns de seus Sintomas

  1. Fenilcetonúria: causa comprometimento neurológico.
  2. Hemoglobinopatias: pode levar a diversos tipos de anemia.
  3. Aminoacidopatias: anomalias geneticamente determinadas pelo metabolismo dos aminoácidos.
  4. Hipotireoidismo congênito: pode levar à malformações físicas e retardo mental.
  5. Fibrose cística: compromete o sistema respiratório.
  6. Hiperplasia adrenal congênita: provoca deficiência de alguns hormônios e aumento na produção de outros.
  7. Galactosemia: faz com que o açúcar do leite não seja digerido, podendo levar a um comprometimento na coagulação, icterícia (pele amarelada) e catarata.
  8. Deficiência de Biotinidase: pode levar à convulsões e falta de coordenação motora.
  9. Toxoplasmose congênita: pode levar a cegueira e convulsões.
  10. Deficiência de G6PD: facilita o aparecimento de icterícia e anemia.
  11. HIV: detecta a imunodeficiência adquirida.
  12. Sífilis congênita: pode comprometer o sistema nervoso central.
  13. Infecções congênitas por CMV: pode levar a calcificações cerebrais.
  14. Rubéola congênita: provoca deformações congênitas.
  15. Deficiência de MCAD: deficiências genéticas metabólicas.
Posts Recentes
Contact Us

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Not readable? Change text. captcha txt

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

129500-dengue02woman